5 de jul de 2018

Desabafo 7


Escrevi uma carta para você. Eu me devia isso. Eu nos devia isso. Agora, quando a lágrima cair, nos fortaleceremos com o laço que une as nossas almas.

"As nossas lembranças - esperanças - serão arquivadas. Como todas e quaisquer que existam. Não fazemos nem fizemos mais planos. Não precisamos mais. Estamos bem! Tivemos nosso próprio tempo, e este por si só, foi muito necessário.

(...)

Nós não nos esqueceremos. Não pense isso! Apenas tivemos nossas próprias e necessárias particularidades, que in/voluntariamente, foram esgotadas por todas aquelas sutis circunstâncias cotidianas impostas.



'Ficamos acomodadas.
E isso foi o suficiente para 
nossa realidade sem atitudes.'





Pessoas vêm e vão. Deixam um pouco delas conosco. Com a gente não foi diferente. Deixamos muito de nós em nós mesmas. Isso foi lindo e profundo! Seremos eternamente gratas!

Tivemos nosso precioso tempo e escrevemos nossa linda história, que agora está escrita nas mais belas canções tocadas por nossos corações. E isso basta para que lembremos sempre que a saudade vier nos visitar.

Não, nós não nos esqueceremos.
Jamais!"

Um coração que não nasceu

Nenhum comentário:

Postar um comentário